Abaixo interessante matéria publicada em 01 de janeiro de 1966, no jornal “A Tribuna”, de Santos/SP sobre o futebol da cidade de Cubatão:

“ O futebol, esporte popularíssimo, foi o que apresentou o maior índice de promoções e realizações favoráveis. O feito do Comercial Santista Futebol Clube, conquistando o título de campeão amador do litoral, deve ser apontado como o de maior importância no ano que se findou. Foi um título largamente comemorado em todo o município e que deu ao clube da Fabril e ao futebol da cidade extraordinária projeção em todo o Estado. Pena que ao se aproximar o fim do ano eclodisse no clube uma séria crise interna, de conseqüências imprevisíveis para os destinos da agremiação. Chegou-se, inclusive, a noticiar a possibilidade de fechamento das portas do clube, o que seria lamentável.
A ascenção da Associação Atlética Guimarães foi outro fato a merecer registro no ano que passou. Fundado há pouco mais de 18 meses, esse clube a partir do último mês de setembro teve mudada a sua diretoria, para onde foram guindados a postos de importância destacadas figuras da comunidade portuguesa da cidade. De imediato, esses novos dirigentes trataram de imprimir novos rumos à agremiação, com o objetivo de levá-la à 3ª Divisão de Profissionais da FPF, o que foi feito. E já a partir deste ano o clube estará no regime profissional. Em pouco mais de 90 dias, o clube teve uma projeção extraordinária, com promoções variadas, não só no setor de futebol como também em tênis de mesa e pedestrianismo. Possui o grêmio luso de Cubatão um vasto programa para o ano que hoje se inicia.
No setor de patrimônio esportivo, coube ao Esporte Clube Cubatão o feito de maior destaque, ao se lançar, com grande entusiasmo, no empreendimento de construção do seu estádio de futebol. Velha aspiração de esportistas de Cubatão poderá ser concretizada no ano que ora se inicia, desde que o público compreenda o esforço dos dirigentes do clube e prestigie a aquisição dos títulos patrimonias, fator indispensável para prosseguimento e conclusão das obras.
Ainda com referência ao futebol, tivemos o feito do Vila Bandeirantes Esporte Clube, conquistando, invicto, o campeonato da Liga de Futebol Amador de Cubatão, feito que merece ser destacado, muito embora se deva reconhecer ter sido o certame da Divisão Principal, um dos mais fracos de toda a história do futebol cubatense.
Merece também um registro o feito do Unidos Clube, sagrando-se bicampeão da Primeira Divisão, bem como o crescimento, principalmente em popularidade, de clubes como o São Manoel e o Nove de Abril, agremiações que, se continuarem em 1966 o mesmo ritmo desenvolvido em 1965, ganharão mais cedo do que se espera lugar destacado no cenário esportivo da Baixada.
A Liga de Futebol local, em que pese o esforço e a dedicação do seu atual presidente, sr. Ludovico José Carneiro, não conseguiu manter as mesmas atividades do início do ano, quando promoveu com certo destaque a disputa da Taça Cidade de Cubatão e o Concurso da Rainha do Futebol Cubatense, promoção inédita no município. Faltou ao presidente da Liga, mais e melhores colaboradores, pois seus companheiros de diretoria, salvo raras exceções, foram omissos, contribuindo para que a Liga terminasse a temporada esportiva de forma melancólica e inexpressiva, com os jogos encerrando-se de forma irregular e sem qualquer atrativo.
Mário Pereira, o popular “Caracu”, foi outra agradável surpresa do esporte cubatense em 1965. Ganhou o conhecido esportista extraordinário destaque como árbitro da Federação Paulista de Futebol, apitando jogos do certame de aspirantes. Foi mesmo o recordista de atuações, tendo dirigido um total de 24 jogos.”